Arquivo da tag: Música

VINÍCIUS DE MORAES: SEU AMOR E OUtRAS BELEZAS – ESCRItO PARA O SItE MULHERES JORNALIStAS

Por Silvana Cardoso, jornalista Rio de Janeiro
Instituto Mulheres Jornalistas

Chefe de Reportagem: Juliana Monaco
Vinícius de Moraes: seu amor e outras belezas

Quem amou mais que Vinícius de Morais? Poeta, compositor, dramaturgo, jornalista e diplomata, que nos deixou há 40 anos, em 1980, mas também nos deixou em sua diversa obra a certeza de que seus 66 anos foram para amar e viver intensamente. E sempre vale testemunhar o vasto amor em seu acervo, em verso e prosa, em músicas inesquecíveis, eternizadas em parcerias geniais. Um acervo para especialistas em literatura, amadores, apaixonados por música. Mas em tempos de amor enclausurado, a ideia deste texto é convidar para experimentar a possibilidade de amar sem medo, pois sofrer e sentir saudade e pedir para o ser amado voltar estão sempre presentes na obra amorosa de Vinícius. Que passa pelo amor efêmero, pela melancolia, pelo sensual, pela humildade, pelo perdão. E o compositor sabe pedir perdão para a amada, seu ser maior e, como ninguém, viveu a verdade da sua poesia, com nove casamentos, com mulheres inteligentes que lhe deram filhos, amor e nem sempre abaixaram a cabeça para os seus pedidos de desculpas.

Toda a cronologia, além de muitas histórias e muitos escritos, e toda uma vida cantada pelo mundo, está em dois endereços digitais que abrigam o acervo de Vinicius de Moraes: o site oficial que leva seu nome e o recém-lançado acervo Vinícius de Moraes, idealizado e produzido por sua neta Julia Moraes. Com o intuito de proteger manuscritos do desgaste do tempo, o arquivo apresenta não só os poemas, mas ensaios, peças de teatro, discursos, cartas trocadas em seu período de exílio e como diplomata. São mais de 11 mil documentos originais, 34 mil imagens, que foram distribuídos como Correspondências, Produção Intelectual e Documentos Diversos. Um projeto feito em família, já que o design e a coordenação técnica são do sobrinho-neto Marcus Moraes e a direção geral é da VM Cultural, pelas filhas Georgiana de Moraes e Maria Gurjão de Moraes. Vale também conferir a obra e biografia de Vinícius de Moraes em livros, documentários e em seus canais nas mídias digitais.

Mas na semana do Dia dos Namorados, fica a dica para conhecer também o jovem que, aos 20 anos, já havia publicado quatro livros de poemas e, só por isso, já vale contemplar a obra de um dos mais ilustres autores do nosso país. Mas para falar do que começou no modernismo de Mário de Andrade e invadiu Vinícius, a melhor tradução desse amor do amor, das formas do amor, do amor efêmero, humilde, da saudade e sensual, já que, em seus poemas e letras de música, o amor e a mulher amada sempre estavam em primeiro lugar, seja pela conquista, seja pela beleza do ser amado, mas a cada estrofe está lá aquele amor que não se mede para a hora do pedido de perdão. Ou mesmo o amor eterno amor, para sempre com Eu sei que vou te amar, de Vinícius de Moraes e Tom Jobim, que diz: Eu sei que vou te amar / Por toda a minha vida eu vou te amar / Em cada despedida eu vou te amar / Desesperadamente, eu sei que vou te amar / …; o amor que chega sem pedir autorização, quase não correspondido no poema Ternura, de 1938, que diz: Eu te peço perdão por te amar de repente / Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos / Das horas que passei à sombra dos teus gestos / Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos / Das noites que vivi acalentado / Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo.

Em Orfeu Negro, texto que estreou no teatro em 1956, mas que desde 1942 Vinícius perseguia a ideia de transpor o mito grego de Orfeu para uma favela carioca. Assim nasceu a tragédia carioca em três atos, história ambientada no Carnaval que apresenta um herói negro, Orfeu, e sua amada, Eurídice. Ganhou Oscar como filme estrangeiro em 1959, dirigido por Marcel Camus, numa coprodução Brasil-França-Itália, e nova versão de Cacá Diegues em 1999, com o nome de Orfeu do Carnaval. O amor proibido e repleto de conflitos de Orfeu e Euridice também marcou o início da parceria com Tom Jobim, que assinou as trilhas da montagem teatral e do filme de 1959. Mas o texto de Vinícius de Moraes apresenta o Carnaval, a favela, o negro no protagonismo, mas todo o contexto estava a serviço da sua poesia, do amor de dois jovens, como diz uma das falas do personagem principal: “São demais os perigos desta vida / Para quem tem paixão, principalmente / Quando uma lua surge de repente / E se deixa no céu, como esquecida. / E se ao luar que atua desvairado / Vem se unir uma música qualquer / Aí então é preciso ter cuidado / Porque deve andar perto uma mulher. / Deve andar perto uma mulher que é feita / De música, luar e sentimento / E que a vida não quer, de tão perfeita. / Uma mulher que é como a própria Lua: / Tão linda que só espalha sofrimento / Tão cheia de pudor que vive nua.”

Como não amar Vinícius de Moraes, como deixar de falar de obra tão fenomenalmente representada pelo amor e amizade entre o poeta e seus pares, pelo amor pelas mulheres, que dedicou muito da sua obra. Como Gilda, sua última mulher, 40 anos mais jovem, sua única viúva, como ele mesmo dizia que ela seria, que após um pedido de autógrafo em Niterói, no Rio de Janeiro, a jovem fã estudante de Letras encontrou o poeta novamente em Paris, uma década depois, e se tornou sua mulher pelos dois últimos anos de vida de Vinícius de Moraes. E assim, Gilda Queiroz Mattoso deu ao Poetinha a leveza de jovem a um homem apaixonado, pelas mulheres e pela vida.

Para embalar o desejo de estar apaixonado, ficamos com o célebre Soneto da Fidelidade, que foi musicada por Tom Jobim e ganhou, e ainda ganha, estudos literários. Quem não amaria ter coragem de amar assim?

Viva Vinícius!! Viva o amor!

Soneto da Fidelidade
De tudo, ao meu amor serei atento antes
E com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa lhe dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure

http://www.viniciusdemoraes.com.br
Acervo Vinícius de Moraes 
Foto, direitos reservados, VM Cultural.

CRIASOM É FESTIVAL DE ECONOMIA CRIATIVA FEITO POR PESSOAS CRIATIVAS

Amo fazer parcerias com minha amada Maria Inês Costa. E abrimos os trabalhos de 2021 com o Criasom, festival repleto de pessoas queridas, inclusive Maria, que vai falar sobre assessoria de imprensa. E a primeira atração musical do festival é o Blues Etílicos, que faz live show direto de estúdio no Rio de Janeiro, nesta 6af, dia 26 de fevereiro, às 20 horas. A banda é a marca mais forte do blues nacional e há mais tempo em atividade nesse segmento, desde meados dos anos 80.
Apresentação do Blues Etílicos faz parte da extensa programação do festival sobre economia criativa, com música, dezoito bate-papos, com dicas de produtores, empresários e executivos dos diversos campos da produção cultural.
Até 26 de março, além dos bate-papos,  mais quatro shows na programação, como das bandas Blues Beatles, Yuri Prado e Mardi Gras Brass Zookas, Igor Prado and Just Groove e Electric Miles.
Confere lá a programação: https://www.youtube.com/user/eugeniomjrgmail/aboute
Clipping da assessoria de imprensa Passarim&MAIC: https://drive.google.com/drive/folders/1Aghhp54IPd4zv98TEAPJ-r_zds3EhuUp?usp=sharing

EVENTO PROMOVE E AMPLIFICA A MULHER NA CENA INSTRUMENTAL BRASILEIRA

Paraty é uma cidade histórica do Rio de Janeiro, que tem uma vocação imensa para eventos. E foi numa FLIP que conheci Indiara Belo, produtora da cidade que me deu suporte numa apresentação teatral no Sesc local. Ficamos proximas e sempre trocamos um olá todos os anos, quando vou para o Bourbon Festival Paraty.
No final de 2020 Indiara me avisou que o seu projeto, o Instrumental Brasileiras, estava aprovado pela Lei Aldir Blanc e começamos a trabalhar, já que o evento ficou online e sua produtora, a Jasmim Manga, estava fechando o cronorama.
A ideia sempre foi promover e amplificar a mulher na cena instrumental brasileira e Indiara montou uma extensa programação gratuita, que começou no dia 27 de janeiro e vai até 31 de março, com aulas abertas, podcasts, oficinas e videoclipe.
Mulheres da músca – artistas, produtoras e técnicas de áudio em um lindo e poderoso projeto.
Passa lá no site da produtora e participe: www.jasmimanga.com.br

Clipping das materias publicadas na mídia: https://drive.google.com/drive/folders/1nZN-NFqGth4T61NbRYGPPGNobw2Uw-Wr?usp=sharing

UMA ORQUESTRA JOVEM UMA HOMENAGEM

Hoje é um dia especial, com a apresentação do Concerto O Morro Canta Canudos, com a Orquestra Sinônica Juvenil Carioca com participação do Toni Garrido e transmissão às 19 horas – https://lnkd.in/emX_AYx. Mas eu ia contar sobre esta apresentação na 6af, dia nacional da Conciência Negra, mas foi impossível diante dos acontecimentos em Porto Alegre.

E nosso trabalho na comunicação tem dessas coisas, quando estamos com uma capa para sair e morre um artista ou acontece um fato do cotidiano e tudo muda. As vezes passamos meses negociando uma pauta e acontece alguma coisa que pode atrapalhar o nosso espaço no veiculo.

Mas como hoje é dia de festa, vai ter apresentação da OSJC, do Programa Orquestra nas Escolas em parceria com a Secretaria de Educação do Município do Rio, que desde 2017 transforma a vida de crianças e adolescentes através da música, hoje com 17 orquestras em várias formações pela cidade.

E como hoje é dia feliz, lembro da 6af, nas apresentações da Orquestra, tivemos quatro emissoras de TV (TV Globo, Globonews, CNN e Band), lá no Cais do Valongo, Patrimônio Histórico pela UNESCO como único vestígio material do desembarque do povo africano escravisado nas Américas.

Convite: conheçam o lindo projeto, hoje, 19h, no https://lnkd.in/emX_AYx.
Abs,

TOM NAS ESCOLAS É BOA NOTÍCIA: ORQUESTRAS DE JOVENS ALUNOS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DESCOBRINDO O MAESTRO TOM JOBIM

Um bom filho a casa torna. E cá estou fazendo a assessoria deste lindo projeto da minha antiga casa, o Instituto Antonio Carlos Jobim. Cuidei da comunicação do Instituto por alguns anos, até ficarem sem patrocínio. Mas agora estou de volta com o projeto “Tom nas Escolas”, uma luz no fim do túnel, uma notícia boa para compartilhar.
“Tom nas Escolas” chega aos alunos da rede pública carioca, em parceria com o Programa Orquestra nas Escolas (através da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro e da Subsecretaria de Ensino Municipal), que beneficia perto de 600 mil alunos com o estudo de música.
Nesta primeira etapa, o estudo desenvolvido para o projeto “Tom nas Escolas” terá oito músicas do maestro, com os alunos do Programa Orquestra nas Escolas executando as canções em formato online, neste momento de isolamento.
Links com as músicas já lançadas do projeto: Garota de Ipanema, Samba de uma nota só, Corcovado e Wave. , executadas pelos jovens músicos, neste momento de isolamento uma orquestra virtual. Começamos no dia 3 de agosto, com o lançamentos semanais, no canal do Orquestra nas Escolas do YouTube vocês encontram outros links do Programa.
Vejam que lindeza quando jovens encontram a oportunidade de estudar a nossa arte. E, neste momento, nada atrapalhou o estudo ou a apresentação em formato de orqustra virtual. Um bom exemplo a ser seguido por outras secretarias de educação do país.
Dedos cruzados enquanto aguardamos a decisão da continuidade do projeto a partir de 3 de setembro, quando termina esta primeira etapa.

Garota de Ipanema: https://youtu.be/NQw4ucWEPT0
Samba de uma nota só: https://www.youtube.com/watch?v=HAJuyAi57xU
Corcovado: https://youtu.be/3stFgQhGrBI
Águas de Marçohttps://www.youtube.com/watch?v=GGfuqrw9ZUc
Wavehttps://youtu.be/bCuB1fH6lrU

Clipping assessoria de imprensa Tom nas Escolas https://drive.google.com/drive/folders/1fxm3fzdV01BISOJtS26pItc1x49-dl0m?usp=sharing

THE FEVERS: OS REIS DO BAILE COMEMORAM 55 ANOS COM LIVE

Em março estava tudo organizado para as comemorações dos 55 anos do The fevers, banda de baile na década de 1970, com uma turnê por todo o país e ali, ainda no início de 2020 já estavam agendados mais de 30 shows. Mas tudo parou para eles e para todo mundo naquele março recente.
Agora que mais de três meses já se passaram, a banda que vendeu milhões de LP, chega ao streaming com a sua primeira live pelo YouTube da banda, neste sábado, dia 27 de junho, às 18h30.
O trabalho de assessoria de imprensa, realizado com a parceira Ana Paula Romeiro, foi retomado para esta comemoração e estamos felizes.
Alguma dúvida que é só sucesso esse encontro online com o The Fevers!

ADRIANA QUADROS É LINDA BATISTA

Foram apenas duas apresentações no Teatro Prudential (RJ), nos dias 27/11 e 4/12 de 2019, mas Adriana Quadros brilhou como Linda Batista no espetáculo “Linda! – uma homenagem a Linda Batista”. Um sucesso para pensar em uma temporada mais longa neste 2020 que já está aí.

Foto: Frederico Mendes
Clipping imprensa:  https://drive.google.com/open?id=1XsXc7B7kPx0kGvwl3K_JKdhW3C9vB9qb

MARCELO CALDI E A ORQUESTRA SANFÔNICA DO RIO DE JANEIRO

Em quatro anos de existência, a Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro conquistou o coração dos cariocas, em dezenas de apresentações – em teatros e praças -, demonstrando o poder de encantamento das sanfonas e das tradições populares. Para comemorar, um álbum novo – homônico “Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro” -, shows e muito alto astral. Sob a regência do seu maestro e criador, o multi-instrumentista Marcelo Caldi. Muito orgulho da nossa “Sanfônica”.

Assessoria do lançamento para o lançamento do CD (e show no Rio de Janeiro) – com Ana Paula Romeiro.
Ouça o CD: https://tinyurl.com/v73canx
Clipping Assessoria de imprensa: https://drive.google.com/open?id=1tLynZ-hnhtnyNmqKHm5NOf5XX6YPw0en
Foto: Cyntia C Santos

RECONHECIMENTO AO DETONAUTAS ROQUE CLUBE

Há dois anos a Ana Paula Romeiro me convidou para fazermos juntas a assessoria do Detonautas Roque Clube. Começamos com o álbum de inéditas VI, CD que comemora os 20 anos da banda. De lá para cá, muito trabalho e com um passo após outro, sempre nos emocionamos por fazer parte dessa equipe, que incluo os músicos, que muito trabalha e muito se dedica. E aí, as vitórias vão chegando para uma das bandas mais bacanas do pop rock do pais: o melhor show do segundo dia do RIR 2019 no ranking do portal G1. A palavra agora é reconhecimento. Parabéns, rapazes. 💙 trabalhar com vcs! Foto Fabiano Santos

EU, DIEGO E O ROCK IN RIO

Acompanhei animada a construção da Cidade do Rock, já que morava em Jacarepaguá. E eu ia! Mas o dia 11 de janeiro de 1985, primeiro dia do primeiro Rock In Rio, se tornaria mesmo inesquecível para mim, só que longe dali. Às 17h45 nascia, junto com festival, meu filho Diego Martins. Acordei na Maternidade e ouvi Fred Mercury cantando Love of my life na televisão e a música se transformou no tema da nossa história junto com o festival. Aos 20 anos, não atolei o pé na lama com meus amigos nem tomei porre dançando na chuva: amamentava e assistia, num misto de tristeza e alegria, o Rock in Rio pela TV. Trinta e quatro anos se passaram desde aquele dia e já não sou mais uma jovem mãe, Diego é um homem e o RIR se consolidou como este grande e respeitado festival com selo “é do Brasil”. Eu e Diego estivemos juntos em várias edicões do RIR mas, em 2017, eu estava trabalhando e ele foi com minha nora Carol para assistir. E quando nos deparamos com o letreiro não resistimos e fizemos a foto que acompanha este relato. Hoje esta imagem representa a nossa história de vida e amor com o Rock in Rio. E eu adoooro esta foto. E vocês? Foto da DonaNora Carol Garzon #RockInRio1985 #RockInRio2017 #Rock in Rio