Todos os posts de passarimcomunicacao

Sou uma longa história, costumo dizer. E, por aqui, apresento os meus escritos e a minha trajetória como profissional de comunicação. Parte do meu caminho está aqui, como um mosaico do que construiu a minha carreira. São mais de duas décadas que trabalho com pessoas criativas – com arte, cultura e entretenimento. Um privilégio. O espaço é apresentado pelas “categorias”: Escritos, Música, Teatro e Etc e Tal, onde relaciono trabalhoss como assessora de imprensa, produtora executiva, escritora, redatora, pesquisadora, gerente de DVD e marketing, e diretora artística e de produção. Para facilitar, relaciono alguns artistas e empresas que fazem parte dessa história: Warner Bros., Paramount, Metro Goldwyn Mayer, Disney, United Internacional Pictures, Universal Music e Universal Music Christian Group, Sony Music, Sistema Globo de Rádio, TV Globo, Instituto Tom Jobim, Bourbon Street Music Club (Festinal Paraty, ZAZ), casa de shows Metropolitan (RJ), CCBB-RJ, Ciranda Comunicação (sócia gerente entre 2001 e 2005), Caliban Produções Cinematográficas, A Gente se Fala Produções Artísticas. Além de alguns artistas e criativos que trabalhei: Kid Abelha, Jota Quest, Skank, João Gilberto, Caetano Veloso, João Bosco, Cassia Eller, Zezé di Camargo & Luciano, Ivete Sangalo, DJ Marlboro, Sandy & Junior, Carnaval do Cordão do Boitatá, Pitty, Zeca Pagodinho, Caco Ciocler, Matheus Nachtergaele, Débora Falabella, Adriano Garib, Letícia Spiller, Camila Pitanga, Carmo Dalla Vecchia, Fagner, astróloga Claudia Lisboa; cineastas: Claudio Assis, Silvio Tendler, Mauro Faria; diretores: Hamilton Vaz Pereira, Moacir Chaves, Roberto Alvin, Eric Lenate, Daniel Herz, Jodele Larcher. Para nos conhecermos melhor, sugiro um bom papo acompanhado de um café, ao vivo ou via Skype. Um abraço apertado, Silvana O crédito da logo da Passarim é do amigo, competente designer e fotógrafo, Philippe Leon.

RECONHECIMENTO AO DETONAUTAS ROQUE CLUBE

Há dois anos a Ana Paula Romeiro me convidou para fazermos juntas a assessoria do Detonautas Roque Clube. Começamos com o álbum de inéditas VI, CD que comemora os 20 anos da banda. De lá para cá, muito trabalho e com um passo após outro, sempre nos emocionamos por fazer parte dessa equipe, que incluo os músicos, que muito trabalha e muito se dedica. E aí, as vitórias vão chegando para uma das bandas mais bacanas do pop rock do pais: o melhor show do segundo dia do RIR 2019 no ranking do portal G1. A palavra agora é reconhecimento. Parabéns, rapazes. 💙 trabalhar com vcs! Foto Fabiano Santos

COM CHEIRO DE CAFÉ

Quando a porta do quarto se abriu veio o cheiro do café fresco da cozinha. E tem sensação melhor ao acordar? Para mim, não. Melhor ainda é acordar com a mesa posta e ter à mão uma boa caneca de café que possa dissipar o cansaço da pneumonia, descoberta há dois dias.
Vovó dizia que um café quentinho cura tudo e na casa da minha infância sempre tinha café fresco em cima da mesa, com a toalha em meia lua para quem chegasse de repente. Mamãe tinha a cara de pau de estar com sono e dizer “vou passar um café para tirar esse peso da minha cabeça”. E Diego herdou de mim e das avós a mesma paixão e quando durmo no Rio, na sua casa, acordo com o cheiro do seu café. Saio do quarto, ele me entrega uma caneca cheia de café forte, como gostamos, e acho isso lindo. 
Hoje acordei melhor que ontem. A pneumonia parece que começa a ceder a medicação. Lá fora o alvoroço dos casais de maritacas, enquanto sabiás e cambaxirras duelam seus cantos. 
Comecei este texto no dia 9 de setembro, mas não consegui terminar. Talvez o volume do trabalho misturado aos cuidados com o corpo e a mente me tomaram de assalto o tempo de escrever. Quase vinte dias depois, o pulmão reclamão está quase bom.
Mas hoje, ao acordar, teve café cheiroso entrando pela porta do quarto e resolvi tentar retomar o escrito. E cá estou para contar que o cheiro do café sendo feito pela manhã tem para mim o acolhimento de estar em casa, de família, da minha avó e mãe, do Diego-amado.
Agora, o café que cura todos os males também é acolhimento para o amor que deixei entrar meio que de repente. E sem saber muito bem falar sobre estas emoções de estar à dois, de ter companhia para dividir e somar no dia-a-dia, cá estou deixando o cheiro do café falar mais alto e, junto com os pássaros que após um longo inverso chegam na primavera, cá estou a tagarelar pela manhã com alguém que tem me alegrado os dias, que enche de música a pequena casa que escolhi morar na serra e me conquista com seu amor e sensibilidade, que conversa com as plantas e ouve o silêncio, que com sua velocidade de Papa-Léguas encantou a tartaruga que vos fala.
Com gosto e cheiro de café gostoso, gratidão ao Allfredo por ter me descoberto e por estar me cuidando e me ensinando a amar outra vez. Por saber que tenho asas, mas que podemos olhar na mesma direção para voarmos juntos nesta madura etapa de nossas vidas.
Hoje amanheceu chovendo muito, após uma longa seca por aqui. Sabiás e cambaxirras cortavam o silencio ao amanhecer, em meio aquela mesma confusão das maritacas. Hoje o barulho da chuva me acordou com o cheiro do café, com aroma da casa que gosta de dar bom dia aos passarinhos.

Foto AlmeidaOGato e Dudu, Silvana Cardoso

EU, DIEGO E O ROCK IN RIO

Acompanhei animada a construção da Cidade do Rock, já que morava em Jacarepaguá. E eu ia! Mas o dia 11 de janeiro de 1985, primeiro dia do primeiro Rock In Rio, se tornaria mesmo inesquecível para mim, só que longe dali. Às 17h45 nascia, junto com festival, meu filho Diego Martins. Acordei na Maternidade e ouvi Fred Mercury cantando Love of my life na televisão e a música se transformou no tema da nossa história junto com o festival. Aos 20 anos, não atolei o pé na lama com meus amigos nem tomei porre dançando na chuva: amamentava e assistia, num misto de tristeza e alegria, o Rock in Rio pela TV. Trinta e quatro anos se passaram desde aquele dia e já não sou mais uma jovem mãe, Diego é um homem e o RIR se consolidou como este grande e respeitado festival com selo “é do Brasil”. Eu e Diego estivemos juntos em várias edicões do RIR mas, em 2017, eu estava trabalhando e ele foi com minha nora Carol para assistir. E quando nos deparamos com o letreiro não resistimos e fizemos a foto que acompanha este relato. Hoje esta imagem representa a nossa história de vida e amor com o Rock in Rio. E eu adoooro esta foto. E vocês? Foto da DonaNora Carol Garzon #RockInRio1985 #RockInRio2017 #Rock in Rio

RODRIGO FERRERO LANÇA EP COM INÉDITAS | ASSESSORIA DE IMPRENSA

Rodrigo Ferrero é música instrumental de primeira. O cantor, compositor e instrumentista celebra 20 anos de carreira em 2019 com o lançamento, nas plataformas digitais, do seu terceiro projeto autoral, o EP inédito “Ferrero” (Tratore), com a participação especial dos músicos Marcelo Caldi e Adriano Giffoni.
Ouça “Ferrero”: 
https://open.spotify.com/album/7y9epQoyQmHSPQXNCORqjT?si=dU7J89QDS4WTsLE3KhO8dQ
Clipping
https://drive.google.com/open?id=1c7EEUa3gKKfFUflkYR7hFZwcGrItq7VS

BILHETINHO PARA SEU SILVIO – HOMENAGEM AOS 50 ANOS DE CINEMA DE SILVIO TENDLER

Da era Silvio Tendler 
Sabemos contar o tempo e até costumamos dizer que ele passa em disparada por nós. Passa para nós, não para Silvio Tendler que, curioso e atento, é desde sempre um grande contador de histórias. 
E sim, somos nós que devemos fazer a contabilidade dos cinquenta anos que Silvio nos oferece o seu olhar diante do nosso tempo, da nossa era, com a sua incansável vontade de retratar os fatos.  E se tem alguém que pode nos dar um olhar crítico diante dos fatos o nome desse alguém é Silvio-Professor-Tendler. 
E sim, somos nós também que vamos agradecer pelo mestre incansável, que um dia me disse: “sou professor antes de ser cineasta”. E o professor que nos deu grandes documentos como cineasta também nos ensina a dar importância para a vida, ao driblar e rir, de cara e de careta, dos dias mais doloridos da existência. 
Então o melhor mesmo é somar metros de rolos de filme, horas e mais horas de imagens no HD – entrevistas, conversas e olhares destes cinquenta anos desse Silvio que ainda trabalha incansavelmente. 
Daí, perceber que o melhor a fazer é assumir que o legado é imenso, mas que ainda precisamos do olhar atento desse que sabe, como ninguém, desbravar os fatos que estão aí.
SeuSilvio, cinquenta anos foi bom para nos deixar mais espertos e inteligentes, mas foi só o começo, já que não vamos deixar você parar jamais. 
Estar na sua era é um presente – para nós e para a história. Obrigada, meu querido. Amo-te. Um beijo, Sil

Hoje, 16 de setembro de 2019, na Cinemateca do MAM, às 20 horas, no RJ, tem evento em homenagem aos 50 Anos de Cinema do cineasta. Na ocasião, haverá sessão especial do longa-metragem inédito de Tendler ao amigo poeta, “Ferreira Gullar -Arqueologia do Poeta” (2019). Amigos como Wagner Tiso, Letícia Sabatella e Zelito Vianna prestarão homenagem.
Foto: Arquivo Caliban (www.caliban.com.br)

Bourbon Street Fest Niterói, Rio de Janeiro

Fazer o festival Bourbon em Paraty e ser a representando no Rio do Bourbon Street é sempre um presente, já que trabalho com música boa e pessoas queridas, como Edgar Radesca (que conheço desde 1996), dono da casa paulistana Bourbon Street Cube, que comemora 25 anos de resistência. Este ano, mesmo com o caos que vivemos para manter a nossa cultura viva, o festival em Paraty aconteceu. Mas como temos sempre a esperança de abrir novas oportunidades, lá vamos nós para a primeira edição do Bourbon Street Fest Niterói, que acontece neste fim de semana, nos dias 30 e 31/8 e 1/9, com palco montado na Praia de São Francisco. Shows nacionais e internacionais, com entrada franca, simultaneamente com a 16a edição do Fest São Paulo. Para mim, que estive próxima para a criação do Festival em Niterói e estou trabalhando pelo sucesso desta primeira edição junto à imprensa, uma alegria. Desejo vida longa ao nosso Bourbon Street Fest Niterói, que já na montagem nos emociona com este fundo de palco que mais parece um cartão postal, na foto do amigo e parceiro Elias Gass. Evoé!

Clipping: https://drive.google.com/open?id=1i_i704jLE3nPqWHd9d5JmlSqxmuXL89-Clipping:

A SERPENTE | LONGA-METRAGEM COM MATHEUS E LUCÉLIA

Olha, das coisas que amo do meu trabalho é poder estar junto aos criativos, é ver um projeto chegar ao seu público. E foi assim com o lançamento do filme A Serpente, de Jura Capela, protagonizado por Matheus Nachtergaele e Lucélia Santos: convidada por Matheus e Miriam Juvino para mais uma parceria, cuidar da comunciação do lancamento no RJ, SP e Recife do longa. Um projeto independente tratado como grande por todos nós, pela importância de Nelson Rodrigues na nossa vida, por ter Lucélia de volta ao cinema interpretando as duas personagens do texto do seu grande autor – ela era a preferida do dramaturgo -, por Matheus, esse bicho de teatro de cinema da nossa cultura.
Hoje, 15/8, tem SP, no CineSescSP e, dia 22/8, o filme chaga ao Cinema São Luiz, no Recife. Estreamos no Rio no dia 25 de julho.
Uma honra e uma alegria trabalhar com artistas tão competentes e talentosos como profissionais, corretos com o dia a dia do meu trabalho. Matheus é muito tudo isso.

Clipping matérias publicadas: https://drive.google.com/open?id=1RoQf83ne51gP38zVoAwhgSnLwRYf9VXY
Foto: Jura Filmes