Jornal Do Brasil | Prêmio Brasil Meio Ambiente

Entre o final de 2008 e 2009, fui integrar a equipe que defendia uma reformulação para o tradicional Jornal do Brasil, diário do Rio de Janeiro. Dentre as atividades junto ao Depto de Marketing e Comercial, desenvolvi novos projetos para calendário anual a ser negociado junto aos clientes da carteira do veículo. Também atuei como assessoria de imprensa, e relacionamento aos indicados, de duas edições do Prêmio Brasil Meio Ambiente, projeto chancela pelo jornal, com patrocínio da Petrobras.

Jota Quest | CD “La Plata” | Música

Em 2008 fui convidada por Sergio Pitta, na época empresário do grupo mineiro Jota Quest, para gerenciar a comunicação e o marketing da banda, além de coordenar a gravação do CD La Plata e o lançamento do álbum junto à gravadora Sony Music. Como não aceitar o desafio da ponte aérea Rio-BH por um ano, já havia realizado a assessoria do primeiro show “grande” da banda no Rio de Janeiro, em 1997, quando abriram o show do Skank no Metropolitan. Entre 1997 e 2008, estive com os meninos do Jota (como eu sempre me referi aos cinco integrantes da banda) em diversos outros momentos, dentre eles: um outro show no Metropolitan (1998); pré-lançamento do CD Discotecagem Pop Variada, na Sony Music (2002) e lançamento de Discotecagem pela Ciranda (2002 e 2003).

Aquele foi um ótimo ano desenvolvendo estratégia e cronogramas, gravando comerciais de TV, acompanhando agenda de divulgação e as inesquecíveis reuniões nas idas para acompanhar as gravações no estúdio dos meninos em “beagá”, quando o dia terminava em volta à mesa generosa do lanche, quando eu retornava para o Rio com um ótimo contrabando de queijo minas.

Indie Records | Música

Reestruturar uma gravadora em um ano foi o desafio de toda uma equipe em 2006. Assumi a gerência de marketing e DVD da Indie Records. Gravadora 100% nacional que possuía no seu cast grandes artistas como: Alcione, Alceu Valença, Jorge Aragão, Leci Brandão, Fundo de Quintal e Vander Lee. Alguns novas contratações deveriam estar no cronograma e, assim, chegaram Paula Lima, Angela Ro Ro. Esta última, longe dos estúdios por quase uma década, gravou CD e DVD, lançados quase simultaneamente.

Transmissão do Carnaval TV Globo | Reportagem

A partir de 2005, voltei a trabalhar como prestadora de serviço, freela ou como se define o voo independente que menciono no “Sobre Mim”. Assim, recebi uma ligação, em dezembro daquele ano, da diretora da TV Globo, Emília Silveira, me oferecendo uma vaga de repórter na equipe que confecciona o book da transmissão das escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro. Duas repórteres “dividiriam” as 14 escolas, para a apuração e confecção dos textos. Além de visitar os barracões, a conferência de Ala por Ala na Avenida, no dia do desfile. O trabalho de corpo-a-corpo com as agremiações e os carnavalescos me fez torcer pelas escolas que estavam sob a minha responsabilidade. E com a sorte de principiante na função, naquele ano de 2006 a Vila Isabel foi a campeã do Grupo Especial Carnaval, escola que teve a minha apuração. Fiquei bem feliz, claro.

A Gente Se Fala | Produtora

Comecei a parceria com Miriam Juvino em 2005, quando fiz a produção executiva do balé A Bela Adormecida, produzido pela A Gente para o Theatro Municipal do Rio de Janeiro. De lá pra cá não paramos mais de trabalhar juntas. Muitos projetos e uma amizade para toda a vida.
Cinco anos depois, em 2010, fiz a produção executiva para o musical “Pernas Pro Ar”, da atriz Claudia Raia, projeto que Miriam era a diretora de produção. Atuei na turnê que viajou por diversas capitais do Brasil, além de dar suporte para a agenda de imprensa por onde o espetáculo realizou apresentações. Como coordenadora de comunicação dos projetos da produtora, posso ressaltar as duas edições da série “Piano Solo” (em 2007 e 2008); a estreia nacional do espetáculo 45 Minutos, bem como a assessoria para a estreia do espetáculo na cidade de São Paulo. Para Cesar Lacerda, plano de marketing e assessoria de imprensa para os lançamentos dos dois primeiros álbuns do cantor e compositor mineiro. Assessoria para o ator Mario José Paz, o Argentino mais carioca, sucesso como Maradona na novela da TV Globo, ‘Viver a Vida’, de Manoel Carlos; do monólogo “Rosa”. A idealização, com Miriam Juvino, do site da produtora, bem como da confecção dos textos.

Site: www.agentesefala.com.br
Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTaHVrQmxuMld6X1k

Sony Music | Música

Um dia, em meio a crise mundial após os atentados de 2001 ao WTC, em Nova Iorque, recebi o convite para gerenciar o departamento de imprensa da Sony Music em todo Brasil. A sondagem, feita pela querida Cris Simões, titular do posto na época, era para cobrir a sua licença maternidade. Desafio aceito e cumprido, com direito a muita emoção, entre os meses de março a agosto de 2002. Muitos lançamentos bacanas de artistas nacionais e internacionais, muita ponte aérea Rio-SP e a conquista de amigos para toda uma vida, né Mariana Claudino.

Ciranda Assessoria de Comunicação

Em 2001, após sair do departamento de marketing da Universal Music, abri a Ciranda com amiga Susana Ribeiro. Por quatro anos firmamos uma deliciosa parceria, com muita música, muito cinema, teatro, literatura, muitos clientes bacanas, artistas que confiaram seus grandes lançamentos. Alguns foram realizados com grande dose de desafio, mas os resultados sempre felizes e aplaudidos.

Éramos uma boa dupla, sócias-amigas. Ainda hoje realizamos trabalhos em parceria, agora como Passarim-Ciranda, mas a dupla Silvana-Susana tem uma história de vida, de comadres, que é para sempre. E avante!

Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTWWdtcnRCbG9hZ2c

Universal Music | Música

Em 1999 fui convidada, por Marcelo Castello Branco e Edison Coelho, para fazer parte da equipe de marketing da gravadora número um do Brasil, a Universal Music. Assumi as gerências de vídeo e da coordenação de Marketing, onde fazia o elo com o depto artístico e demais gerências para realizar a produção das gravações de projetos, como Casa de Samba. Planos de mídia, atendimento aos Selos distribuídos e a produção dos eventos do departamento de marketing para os lançamentos de artistas, como: Zeca Pagodinho, Ivete Sangalo (primeiro CD solo), João Gilberto, Caetano Veloso, É o Tcham, Cheiro de Amor, Cássia Eller, e muitos outros nomes da nossa MPB. Em 2000, a consolidação do novo formato digital que revolucionou o mercado mundial da música, o DVD. De  imediato, para inaugurar a nova fase do mercado, o primeiro DVD da gravadora (já com telas de navegação) foi do show Prenda Minha, de Caetano Veloso. A grande festa de lançamento, para 300 convidados, também era a comemoração pela marca de 1 milhão de cópias vendidas do CD homônimo. A partir daí, realizamos inúmeras gravações de shows inéditos, como “Cassia Eller Acústico MTV” e “Sandy & Junior – Quatro Estações”, abrimos o arquivo da gravadora e relançamos em DVD os primeiros VHS de Zeca Pagodinho, Sandy & Junior, Cássia Eller, Zizi Possi, dentre tantos outros. Foram quase três anos, intensos, entre o Departamento de Marketing e o de DVD, que me fortaleceram como profissional.  Já fora do quadro de funcionários, fui convidada para coordenar o DVD Jorge Ben Jor Acústico MTV (gravação e entrega do produto). Trabalho dinâmico e enriquecedor, que me traz saudades diversas.

Metropolitan | Casa de espetáculos

Em 1996 assumi a assessoria de imprensa do Metropolitan, na época, a maior casa de espetáculos da América Latina, do empresário Ricardo Amaral, sob a regência do jovem Bernardo Amaral. Após um ano, duas situações de grande desafio: buscar uma pessoa para substituir Ana Paula Romeiro, minha dupla que foi gerenciar o depto de imprensa da gravadora BMG e aceitar o convite dos Amaral para assumir como diretora a produção, a agenda de shows, a comunicação e, posteriormente, o artístico da casa. Neste percurso, outras seis casas do empresário como a academia Estação do Corpo, a pizzaria Gattopardo e o ainda Hipopotamus, esteve, num determinado momento, todos sob a minha gerência de comunicação.

No Metropolitan, foram estimados em torno de 300 espetáculos no período de três anos – entre 1996 e 1999. Shows, teatro, espetáculos de mágica, ou mesmo o ainda desconhecido Ultimate Fighter (luta em octagono conhecida em todo o mundo). Foi neste período que se apresentaram no Brasil os internacionais: BB King, David Bowie, Lou Reed, Oasis, Robert Cray, Alanis Morissette, Björk, Nathalie Cole, o mágico David Coperfield, cias de ballet internacionais, dentre tantos outros. E os nacionais, Roberto Carlos, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Maria Bethânia, todo o Pop Rock nacional, o Axé, a chegada do Sertanejo.

Neste mesmo período, coordenei a Metropolitan News, publicação mensal com distribuição gratuita para os frequentadores da casa. Seu conteúdo falava sobre a programação do mês, matérias especias e colunismo social.

Aqueles anos foram de extrema importância para a minha carreira, além ter sido uma grande aventura.

Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTY3QyeVZqSXJpMDg

Warner Bros. | Cinema

Cheguei na Warner Bros. em 1991, para substituir a titular da publicidade do escritório da major no Brasil, quando todas as cias de cinema ficavam situadas na Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro. Após três meses, não consegui mais sair e não me deixaram ir embora. Um cargo novo foi criado através da agência de publicidade que atendia a companhia e, assim, cuidei dos projetos especiais de imprensa e do recém criado departamento de promoções. A Disney era distribuída pela Warner Bros. no mundo, e tive o privilégio de trabalhar o lançamento do primeiro desenho animado indicado ao Oscar – A Bela e a Fera. Após o zum zum zum do desenho concorrer como Melhor Filme, criaram a categoria Animação. Além da Bela e a Fera, outros personagens vieram para fazer divulgação, como Peter Pan e Branca de Neve e os Sete Anões. Deu trabalho, mas eram divertidos e fofos. Em 1992, lancei a “Versão do Diretor” do filme da minha vida, Blade Runner, dez anos após a sua estreia, quando o novo final mudou completamente tu-do no filme. A promoção com a Pepsi Co. para Batman O Retorno, onde um carro Eclipse era o prêmio, e o prêmio foi para a calçada do cinema Roxy, em Copacabana, na noite da pré-estreia e quase ficamos de cabelos brancos. O sucesso de Imperdoáveis, de Clint Eastwood, numa época que se duplicava a master para gerar novas cópias. E lá vamos nós aprovar legendas de um longa de três horas. Após umas cinco cópias e 15 horas do mesmo filme, parei de contar. Lançamentos memoráveis e muitas histórias com aquela equipe sensacional que convivi, composta por Fred Schiffer, Sandra Vilella, Cesar Barata e Catharina Attema (esta última, que substitui e trabalha por lá até os dias atuais). Todos comandados pelo Sr. Jorge Correa, presidente da Warner no Brasil, que me chamava de “minha filha”. Sou uma pessoa de sorte.

Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTRGFTQm40bk5TeG8

Redação | Assessoria de Imprensa | Conteúdo Digital | Criação de Sites | Pesquisa | Mkt de Produto