Arquivo da categoria: Música

Família Bourbon e um jovem festival em Ilhabela | Artigo no R7

Pense no que você faria se após uma viagem resolvesse trazer a cidade visitada para o seu pais. Pois é, uma família brasileira não só pensou mas resolveu trazer, de verdade, New Orleans para São Paulo. E assim, portando cartas de apoio das autoridades oficiais locais e após quatro anos de obras, há exatos 23 anos, nascia o Bourbon Street Club no bairro de Moema, casa de shows e restaurante com a cozinha típica da cidade americana e que foi inaugurada por ninguém menos que BB King.

Essa história me chegou aos ouvidos em 1996, quando conheci Edgard Radesca, o viajante do sonho, que trazia para o show da lenda BB King para o Metropolitan, que na época era a maior casa de espetáculos da América Latina – e que tinha uma equipe que era uma outra família, animada e divertida, mas essa é uma outra história. Voltando ao BB King, como eu fazia a comunicação da casa, segurei a responsabilidade de divulgar o show no Rio de Janeiro. A partir daí, minha parceria profissional e amizade com o Radesca me fizeram entrar na família Bourbon.

A família mais jazzística do país é ligada no 220 e queria que aquela beleza de música, surgida a partir do blues no início do século XX pelos trabalhadores negros norte-americanos, chegasse para todos gratuitamente. Assim, há 13 anos nasceu o primeiro Bourbon Street Festival, por onde já passaram nomes de peso do jazz mundial para shows gratuitos em São Paulo e em diversos outros festivais realizados em cidades como Paraty e Ilhabela.

Mês passado, no Bourbon Festival Paraty, enquanto eu e minha amiga-parceira Maria Inês, assessora da casa em São Paulo, corríamos de um lado para o outro se equilibrando nas ruas pé de moleque da cidade histórica, pensava o quanto de trabalho e alegria cabe nos festivais organizados pelo Bourbon. O quanto de raça, coragem e disposição se faz um festival de música, completamente gratuito, com atrações nacionais e internacionais espalhadas por suas ruas e praças, como na oitava edição do festival em Paraty e na segunda edição de Ilhabela.

Por muitas vezes queremos arrancar os cabelos pela necessidade de ter mais umas vinte pessoas trabalhando, mas tudo se resolve com a fórmula que impera nos trabalhos da equipe: sorriso, boa vontade e um “você pode esperar um pouquinho?”. Principalmente para a assessoria, que pede de tudo, desde a distância que o artista está para chegar a tempo da entrevista, até mesmo ter coragem de solicitar que o Radesca fale para a TV, em link ao vivo, na hora exata da cerimônia de abertura do festival.

Sei que não será diferente no festival Bourbon Folk e Blues Ilhabela, que chega à sua segunda edição neste final de semana, de 24 a 26 de junho. Sei também que o corre-corre será grande; que não vai faltar um cachorro de rua como mascote atrás do palco, misturado conosco e com os artistas; que vai ser difícil acompanhar o Herbert na função de MC, voando para anunciar atrações de um palco para o outro; que o Beto será visto de relâmpago em vários lugares ao mesmo tempo; que os rapazes da montagem e os roadies serão sempre esperados para as comemorações do final de cada noite; que a barriga da Amanda estará maior e que o bebê Felipe chegará em breve; que Inez sempre dará um jeito de resolver o nosso pedido de última hora; que Mafê estará de prancheta na mão esperando o momento que vamos liberar o artista que acabou o show; que devemos sair da frente do Pedro Garrido correndo no meio da rua entre um show e outro; que Regina estará alerta, positivo e operante na função de alimentar todos e distribuir as tão aguardadas camisetas; que Otto vai nos dar aquele suporte para os assuntos tecnológicos; que Murilo – o homem de confiança da grife Bourbon – estará recebendo a imprensa, os convidados e todos nós ao mesmo tempo, sem perder a elegância e a gentileza; que Radesca estará fotografando todos os shows, conversando e contando histórias nos intervalos.

Sei bem que no jovem festival de Ilhabela, além das atrações espalhadas pela ilha, terá a nossa Orleans Street Jazz Band juntando gente pelo meio da rua com sua música e alegria, sei que vamos fazer uma vaquinha para a bebida da festa que adentrará pela madrugada no último dia – regada a muita dança, abraços e fotos –, todos embalados ao som do DJ Crizz, que fecha o palco e continua na função de manter o festival vivo dentro de todos nós. E, nessa hora, penso que a vida poderia congelar neste momento de amor a arte.

Silvana Cardoso,
Assessora de imprensa do grupo Bourbon Street no Rio de Janeiro.
RJ, 20 de junho, 2016

Publicado em: http://entretenimento.r7.com/blogs/bia-willcox/familia-bourbon-e-um-jovem-festival-em-ilhabela-20160624/

Usina Cultural | Fórum Dissonâncias | Música

Com o objetivo de instaurar a reflexão sobre a música brasileira, artistas, produtores, jornalistas e pesquisadores, o Projeto Usina Cultural realizou o 1º Fórum Dissonâncias, de 11 a 13 de julho de 2013, no Centro Cultural Humberto Mauro, em Cataguases, Minas Gerais. Nas mesas debatedoras a presença de renomados produtores, músicos, jornalistas e críticos musicais, como Marcus Preto, Ronaldo Evangelista, Alex Antunes e Leonardo Lichote, Hélio Flandres, Daniel Figueiredo e Rômulo Fróes, dos produtores Plinio Profeta e Pena Schmidt, além dos cantores e compositores Odair José e Helio Flanders.

Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTbFBNTVhxeWYzLTA

Gustavito | Show

O cantor e compositor mineiro Gustavito lançou seu CD “Só o Amor Constrói” (independente) em show no Rio de Janeiro, dia 27 de março de 2013, no Espaço Cultural Municipal Sergio Porto. A apresentação contou com as participações especiais de Luiza Brina e Cesar Lacerda.

Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTMzIzWFBGdHUxYVE

Cesar Lacerda | CD | Show |Carreira

Estratégia de comunicação e marketing para apresentar o cantor e compositor da novíssima geração mineira, Cesar Lacerda, com o lançamento do álbum de estreia, “Porquê da Voz”, em agosto de 2013. Após colher elogios da critica especializada de todo o Brasil e realizar turnê na Europa em 2014, o cantor lançou o segundo álbum, “Paralelos e Infinitos”, em 2015.

Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTSUdLQTZiamEwY0E

Instituto Antonio Carlos Jobim | Portal Jobim.org | Música

Como traduzir a alegria de ter a empresa com o nome Passarim e ser convidada para assumir da comunicação do Instituto Tom Jobim? Assim, em 2012, comecei a cuidar do maestro na mídia, convidada pela doce e competente Georgina Staneck, e pelo querito Paulo Jobim. Começamos a partir da abertura da exposição “Tom Jobim – Música e Natureza”, mostra permanente na Casa do Acervo do Instituto, nas dependências do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (hoje, em formato reduzido no mesmo local). Como assessoria do Instituto, lançamos o Portal jobim.org, que abriga todo o acervo do maestro, bem como o lançamento do acervo de do Milton Nascimento. A divulgação abrange outros projetos produzidos “em casa”, como as duas sérias de música – nos anos de 2013 e 2014, com shows mensais no Teatro Tom Jobim. Cursos,  série de piano são alguns dos projetos que realizamos em parceria.

Em dezembro de 2016 fizemos a assessoria do show “Tom Jobim – 90 Anos,” que marcou o início das homenagens pelo aniversário do maestro, em 25 de janeiro de 2017. Para este projeto, convidei a amiga Susana Ribeiro para realizar o trabalho em parceria.

 

Projeto em parceria com Susana Ribeiro

Foto: Tom Jobim p&b | Jardim Botânico | copyright Ana Lontra Jobim

Clipping:
https://drive.google.com/drive/folders/0Byou4MpvKtcTdHB1cmFFTU92TWs?usp=sharing

 

 

Kid Abelha 30 Anos | Paula Toller CD Transbordada | Música

Trinta anos, parece que foi ontem. Assim, em 2010, fui convidada por Mauro Benzaquem (Posto 9 Música) para a gerência de comunicação e marketing do retorno da banda Kid Abelha, para coordenar a campanha dos 30 anos de carreira – a grande turnê em todo Brasil, com gravação do CD e DVD “Kid Abelha 30 anos – Multishow Ao Vivo”. Planejamento, cronograma, coordenação da equipe de comunicação em todo Brasil (imprensa, rádio e TV), bem como a produção executiva do DVD, onde estava sob a minha responsabilidade o relacionamento com os criativos do projeto. Onde precisei ter coragem para me comprometer, com o diretor Jodele Larcher, que conseguiria entregar o áudio da abertura do show em tempo hábil de abri a cortina da gravação. O convite feito para Monica Waldvogel escrever o texto de abertura já era suficientemente arriscado, mas sismei que com a jornalista gravando ficaria uma beleza. Valeu a dor no estômago, as flores em agradecimento a gentileza da Mônica, que me entregou o áudio na véspera da estreia nacional do show, no Rio de Janeiro. Vale ouvir abaixo.

Após novo recesso do Kid Abelha, a cantora e compositora Paula Toller entrou em estúdio para gravar o CD Transbordada, onde atuei como gerente de marketing e produtora executiva do álbum. Paralelo aos trabalhos no estúdio Nas Nuvens (RJ), coordenei a transmissão, pelo canal BIS, do show Inusitado – projeto de André Midani, em junho, 2014, na Cidada das Artes, RJ. Bem como estive à frente dos desmembramentos do  projeto do livro “Oito Anos”, a artir da proposta da editora Salamandra. Acompanhei a estreia nacional do show Transbordada em Porto Alegre e desenvolvi plano de marketing entregue a gravadora Som Livre, distribuidora do CD, em novembro de 2014. Foi um lindo trabalho em parceria com o amigo Mauro Benzaquem.

 

Foto show e capa DVD: Marcos Hermes

 

 Abertura do show “Kid Abelha 30 anos”, DVD Multishow. Por Mônica Waldvogel.

Jota Quest | CD “La Plata” | Música

Em 2008 fui convidada por Sergio Pitta, na época empresário do grupo mineiro Jota Quest, para gerenciar a comunicação e o marketing da banda, além de coordenar a gravação do CD La Plata e o lançamento do álbum junto à gravadora Sony Music. Como não aceitar o desafio da ponte aérea Rio-BH por um ano, já havia realizado a assessoria do primeiro show “grande” da banda no Rio de Janeiro, em 1997, quando abriram o show do Skank no Metropolitan. Entre 1997 e 2008, estive com os meninos do Jota (como eu sempre me referi aos cinco integrantes da banda) em diversos outros momentos, dentre eles: um outro show no Metropolitan (1998); pré-lançamento do CD Discotecagem Pop Variada, na Sony Music (2002) e lançamento de Discotecagem pela Ciranda (2002 e 2003).

Aquele foi um ótimo ano desenvolvendo estratégia e cronogramas, gravando comerciais de TV, acompanhando agenda de divulgação e as inesquecíveis reuniões nas idas para acompanhar as gravações no estúdio dos meninos em “beagá”, quando o dia terminava em volta à mesa generosa do lanche, quando eu retornava para o Rio com um ótimo contrabando de queijo minas.

Indie Records | Música

Reestruturar uma gravadora em um ano foi o desafio de toda uma equipe em 2006. Assumi a gerência de marketing e DVD da Indie Records. Gravadora 100% nacional que possuía no seu cast grandes artistas como: Alcione, Alceu Valença, Jorge Aragão, Leci Brandão, Fundo de Quintal e Vander Lee. Alguns novas contratações deveriam estar no cronograma e, assim, chegaram Paula Lima, Angela Ro Ro. Esta última, longe dos estúdios por quase uma década, gravou CD e DVD, lançados quase simultaneamente.

Sony Music | Música

Um dia, em meio a crise mundial após os atentados de 2001 ao WTC, em Nova Iorque, recebi o convite para gerenciar o departamento de imprensa da Sony Music em todo Brasil. A sondagem, feita pela querida Cris Simões, titular do posto na época, era para cobrir a sua licença maternidade. Desafio aceito e cumprido, com direito a muita emoção, entre os meses de março a agosto de 2002. Muitos lançamentos bacanas de artistas nacionais e internacionais, muita ponte aérea Rio-SP e a conquista de amigos para toda uma vida, né Mariana Claudino.

Ciranda Assessoria de Comunicação

Em 2001, após sair do departamento de marketing da Universal Music, abri a Ciranda com amiga Susana Ribeiro. Por quatro anos firmamos uma deliciosa parceria, com muita música, muito cinema, teatro, literatura, muitos clientes bacanas, artistas que confiaram seus grandes lançamentos. Alguns foram realizados com grande dose de desafio, mas os resultados sempre felizes e aplaudidos.

Éramos uma boa dupla, sócias-amigas. Ainda hoje realizamos trabalhos em parceria, agora como Passarim-Ciranda, mas a dupla Silvana-Susana tem uma história de vida, de comadres, que é para sempre. E avante!

Clipping: https://drive.google.com/open?id=0Byou4MpvKtcTWWdtcnRCbG9hZ2c