Entre nós

Era domingo segunda terça quarta quase sempre era domingo quando fui lançada à sorte do amor com suficiente para nós dois quando houve um nós após acreditar dar conta de tanto espera quando muito esquecer perigos quando chamar quando não ouvir nada até acompanhar meu movimento delicado de fuga para descobrir sem segunda ou quarta sem domingo descobrir sem nada além daquele amor que era só para ser nosso com aquele sem eco daquele dia sem bom dia sem domingo quando hoje quarta-feira entre copos d’água com gás aquele shot de limão para misturar aos silêncios diversos dentre mesas cadeiras pessoas cores dos olhos marejados em dor da quebra daquele horizonte que ainda habita pelo novo norte sem bússola desse mar incerto sem vento daquele amor que por nós dois poderia ser se pudesse ser nosso quando foi só meu quando há alguns anos Deus ou aquilo que chamamos assim, tão descuidadamente, de Deus —, enviou-me certo presente ambíguo: uma possibilidade de amor que

Com livre citação de “Dois ou três almoços, uns silêncios”, do mestre Caio Fernando Abreu e de “Touro Indomável”, dos amores Cesar Lacerda e Francisco Vervloet. Gracias rapazes.

“Dois Cafés… Há alguns dias, Deus — ou isso que chamamos assim, tão descuidadamente, de Deus —, enviou-me certo presente ambíguo: uma possibilidade de amor. Ou disso que chamamos, também com descuido e alguma pressa, de amor. E você sabe a que me refiro. Antes que pudesse me assustar e, depois do susto, hesitar entre ir ou não ir, querer ou não querer — eu já estava lá dentro. … “

Touro Indomável, https://www.youtube.com/watch?v=TBefJah6cDk

Foto Silvana Cardoso, Mole, SC, Fevereiro, 2014

Marcado como: